Portal UCPPortal UCP | APEES | FacebookFacebook | Livraria UCPLivraria UCP
Pagina Inicial
Universidade Católica EditoraInício | Voltar | Imprimir




DA INCERTEZA À ESPERANÇA

/resources/Imagens/UCEditora/temas-educacao-cultura/proximidade-distancia.jpg Autor: José Jacinto Ferreira de Farias
Tema: Teologia Dogmática
Coleção: Investigação
Ano: 2012
Págs. 192
ISBN:encomendas 9789725403730
Preço: 13.30€ | Novidade

 

A experiência cristã está marcada pela imprevisibilidade e pelo risco. Isto foi especialmente sentido na Idade Média mais tardia, durante a qual a imagem de Deus subjacente à experiência religiosa continha em si os contornos do imprevisível e do inseguro, pois ao crente ninguém podia dar a certeza de estar salvo, sempre exposto à gratuidade da graça. O que foi sentido pela teologia na Idade Média corresponde ao núcleo essencial do querigma cristão e vale, por conseguinte, também para hoje. O querigma proclama que a salvação é oferecida a todos os homens, pois Deus quer que todos se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade (cf. Tim 2,3). Tendo como referência, entre outras, as figuras bíblicas da arca de Noé e da barca de Pedro, a teologia patrística via a Igreja como espaço seguro de salvação. Deve-se a S. Cipriano de Cartago o célebre axioma “salus extra eclesiam non est” e o Concílio Vaticano II proclama que a Igreja é sinal eficaz e lugar seguro onde a salvação pode encontrar-se (LG 8). No entanto, a Igreja não garante a ninguém a salvação, pois esta é um dom de Deus e não uma certeza adquirida. Ninguém pode ter a certeza de um desfecho positivo da própria existência. Vivemos na esperança, não na certeza da salvação. A soteriologia está marcada por esta incerteza e radical insegurança. Mais do que estar certo da salvação, o cristão deve humildemente invocar a graça de ser contado entre os eleitos. O presente estudo, um ensaio de soteriologia narrativa, pretende ser um contributo para dar razões da esperança. O movimento da incerteza à esperança evoca a trajectória da existência humana enquanto tal e também do risco abissal do amor, mesmo do humano e divino morrer de amor, onde o sentido da vida se decide.

Índice e Introdução

 

   


                          

 

José Jacinto Ferreira de Farias - Doutor em Teologia pela Universidade Gregoriana - Roma e, Licenciado em Filosofia pela Universidade de Lisboa. Licenciado pela Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa. Leciona na área de Teologia Dogmática. As linhas de investigação privilegiadas situam-se nas seguintes áreas: Soteriologia/Antropologia Teológica, Teologia Sacramental e Teologia Trinitária e Espiritualidade. É autor de diversas obras e artigos científicos e integrou diversas comissões científicas (Apoio do Comissariado da representação da Santa Sé na Expo 98, Comissões organizadoras de congressos internacionais, etc.). Lecionou no Seminário Inter-diocesano S. Pio X, em Maputo. Lecionou no seminário diocesano Redemptoris Mater, em Copenhagen, Dinamarca. É membro do Conselho Científico da Faculdade de Teologia. É membro da Sociedade Científica da Universidade Católica Portuguesa e foi membro da sua Direção. É assistente eclesiástico da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre. É Conselheiro Espiritual da Equipa Responsável Internacional (ERI), das Equipas de Nossa Senhora. Foi Diretor da Revista Didaskalia. Foi membro da Direção da Faculdade de Teologia, na qualidade de secretário. É sacerdote Dehoniano.

     

| Voltar |


Topo
Logotipo Acessibilidades
Universidade Católica Editora
Palma de Cima
1649-023 Lisboa
Tel.: (+351) 217 214 020
Fax: (+351) 217 214 029
E-mail: uce@uceditora.ucp.pt
  Universidade Católica Editora - Porto
Rua Diogo Botelho, 1327
4169-005 Porto
Tel.: (+351) 226 196 200
E-mail: uce@porto.ucp.pt

Universidade Católica Portuguesa > Lisboa > Porto > Braga > Viseu
Página Inicial